Fala, galera! Tudo certinho?

Como eu havia programado, passei o natal assistindo a sexta temporada da minha série favorita da vida. Demorei muito para assistir, inicialmente porque queria ter todos os episódios completos (odeio ficar esperando o próximo) e depois, porque a internet já tinha dado tanto spoiler que acabei perdendo a vontade de ver.

Porém, entretanto e toda via, eu não sou a única viciada lá em casa e minha mãe aproveitou as festas de fim de ano para me atormentar até assistirmos e cá estou para chover no molhado e falar o que muitos já sabem - que foi incrível!

Olá, amorecos! Tudo certinho?

Hoje eu vim indicar um desenho muito louco para quem é de maior e adora ficção científica misturada com muita loucura e coisas non sense. O desenho Rick and Morty me foi indicado por um amigo já há algum tempo, porém me faltava tempo para conferir, então entre uma folguinha e outra acabei assistindo todos os 10 episódios de cada temporada.

Como dica boa a gente não guarda, passa pra frente - estou aqui para falar um pouco das insanidades encontradas nesse desenho. Para começarmos vou apresentar Rick and Morty devidamente, até aqui vocês já sabem que ela se trata de uma série animada, ela foi criada por Justin Roiland e Dan Harmon e foi ao ar pela primeira vez em 2 de zezembro de 2013 no canal americano Adult Swim.


Estou para assistir essa série desde que ela foi lançada, mas sempre fui deixando de lado porque por mais que eu ame filmes, livros e séries que se passam nas duas grandes guerras que já houveram, eu sempre choro miseravelmente quando resolvo assistir ou ler.

A série é baseada no livro de mesmo título, escrito por Stephen E. Ambrose, historiador especialista em Segunda Guerra Mundial que também faz parte da produção da série. Na produção da série temos nomes conhecidos como Steven Spielberg e Tom Hanks. No Brasil, o livro foi publicado pela Bertrand Brasil, sob o título Band Of Brothers - Companhia de Heróis também em 2001.

Fala, Galerinha! Tudo em cima?

Eu to numa correria danada e essa semana nem sei se vai sair resenha, vou pensar numa forma de não deixar ninguém na mão. Pra vocês não ficarem sem nenhuma postagem essa semana, hoje vou indicar para quem curte séries históricas, a minisérie The White Queen, mais uma série da BBC, sim, novamente e se reclamar vai ter mais... rsrs...que eu simplesmente amei e já engatei com The Tudors que é uma sequencia história desse enredo, então aguardem, pois já estou na ultima temporada dessa série também e vou trazer elas pra vocês também, mesmo não gostando do Henrique Tudor nem um pouquinho, muito menos do ator, felizmente o enredo da série vale alguma coisa, mas esse assunto é pra outra postagem... rsrs.

Eu sou totalmente apaixonada pelos livros da Philipa Gregory, apesar de não ter lido nenhum (porque os precinhos das obras dela já publicadas aqui são caríssimos!). Eu tenho um carinho enorme por todas as obras cinematográficas já adaptadas de suas obras, pois me encanta a maneira romanceada que ela trabalha grandes personalidade históricas. Quem não viu A Outra, veja, é excelente... que filme maravilhoso! 



Olá, Leitores!!

Continuando minha saga de séries assistidas nas férias e aproveitando o Halloween que está chegando, cá estou eu para falar um pouquinho da primeira temporada de Salem. Poucas pessoas conhecem a série e eu só fiquei sabendo mesmo dela porque estava lá passeando pelo site onde vejo séries online e dei de cara com o poster.

Não curto muito séries de terror, mas às vezes me sinto meio desatualizada nesse quesito e caço alguma coisa. Achei a pegada do poster muito parecida com American Horror, mas não podia estar mais enganada. A série, apesar de ter muita fantasia e algumas coisas bizarras, não chega a ser tão bizarra quanto American e a trama é excelente e quando a primeira temporada terminou quase chorei por ainda estarem na metade da segunda. Simplesmente me encantei com esta série que tem tudo que eu gosto, bruxaria, magia, fantasia e claro... história.

 Olá, leitor!!

Você deve estar se perguntando: Ahh! Raíssa, mas você só indica série de época? Ah, Raíssa, mas eu não gosto de séries assim... Respondendo: Sim, só assisto série de época, na verdade só assisto séries de época e fantasia, das moderninhas apenas as investigativas ou das antigas. Agora quando ao fato de você não curtir, aí é gosto pessoal, eu gosto e indico, se você não curte, só não assistir, né? Não precisa ficar destilando pessimismo por aí... rsrs.

Poldark, me foi indicada por uma amiga no Facebook, após postar algo sobre Desperate Romantics e lá fui eu caçar a série para assistir online. A indicação veio pelo fato de Aidan Turner estar estrelando a série, já que ele é o meu mais novo galã favorito... rsrs... 


Olá, Leitores! Tudo ótimo?

Minhas férias renderam muito, mas nem tudo consegui postar para vocês, já que estive envolvida em atividades extras. Sendo assim, dentro das próximas semanas, estarei pondo em dia as postagens aqui no blog... começando obviamente pelas séries que assisti no período de folga.

A série de hoje é Emma, sim, a mesma Emma do filme. Já havia falado do filme (aqui) e quando encontrei a série resolvi conferir para ver se havia algumas diferenças e encontrei muitas. A visão de Hollywood e de um canal inglês foi completamente diferente, mas não fez a história se tornar melhor ou mais engraçada.

O enredo é basicamente o mesmo do filme. Para quem não sabe, tanto a série quanto o filme são baseados no romance de Jane Austen de mesmo título, que conta a história da jovem Emma, uma mocinha que nunca saiu do interior da Inglaterra e como distração adora se meter na vida amorosa das pessoas.


Olha eu aquiiii... com mais uma série de época!

A série que vou indicar hoje é bem despretensiosa e fanfarrona. Depois de assistir Tess dos D'Urberville, Desperate Romantics caiu como uma luva para aliviar os ânimos e humores chacoalhados pela série anterior e mesmo não tendo a melhor das histórias é bem divertida!

Quem viu o Hobbit e se apaixonou pelo Kili, prepare o coração pois, Aidan Turner, o ator que interpretou o anãozinho mais gato da trama, está nessa série, sendo deliciosamente lindo e cretino... rsrs... Como a maioria das séries da BBC, Desperate Romantics também é baseada em um livro da literatura inglesa intitulado Desperate Romantics: As Vidas Privadas dos Pré-rafaelitas, do escritor Peter Bowker.




Oi gente!!!

Olha eu aqui novamente para indicar a vocês mais uma série baseada em um clássico da literatura inglesa que foi adaptado pela BBC, mas se preparem para muuuita, mas muuuuita 'sofrência'. Eu passei ilesa dessa série, mas minha mãe está indignada até hoje e chorou horrores com o final. Apesar de toda essa 'desgraceira' a história é ótima, repleta de sonhos e esperanças roubados. É realmente muito linda!

O livro Tess dos D'Urbervilles de Thomas Hardy, será publicado no Brasil apenas no ano que vem (2016) pela editora Pedrazul, então, só nos resta ficar com a série por enquanto... rsrs

Ah!! Ah!! Ah!!

Eu sei que estou sumida, sinto muitíssimo por isso, pois sinto uma falta tremenda de escrever para vocês, mas entro em férias em breve e vou ler um monte de coisas e trazer tantas novidades que mal vejo a hora de me redimir para vocês... e hoje, para começar vim falar de uma minisérie linda... LINDA!! LINDAAAAA!!! To perdidamente apaixonada, mas não vim apenas falar da série, vim também deixar os links para que outras apaixonadas por romances de época vejam e amem, mas amem perdidamente o Sr. Thorton (aliás ele me lembrou muito o lorde Belzebu, mas essa é outra conversa... rsrs)!

Bem, a série que venho trazer para vocês hoje é North and South, ou Norte e Sul, baseada no livro de mesmo título da autora Elizabeth Gaskell, autora conterrânea de Jane Austen na lista dos Clássicos da Literatura Inglesa e conta uma história muito comparada a outro clássico muito conhecido por nós, amantes de Orgulho e Preconceito, porém ouso dizer, que é ainda melhor, pois o enredo é mais abrangente e trás problemas da sociedade industriaria na Revolução Industrial do século XIX. Com personagens de personalidade forte, decididos a lutar por aquilo que acreditam. 



Fala galera!!

Eu ando atrasada em tudo desde aquela crise que falei com vocês na resenha passada. No final de semana terminei de assistir Daredevil na Netflix e só posso dizer que foi FODA demais! Vocês já conhecem um pouco minha trajetória com o personagem central dessa série e todo o meu convívio com alguém que lia os HQ's e me ensinou a gostar também. e etc. Pois, é... minha mãe também assistiu e, como eu, já quer que 2016 venha com a segunda temporada.


► Sinopse: Leonard (Johnny Galecki) e Sheldon (Jim Parsons) são dois brilhantes físicos que dividem o mesmo apartamento. Suas vidas se complicam quando uma belíssima jovem, porém pouco inteligente, Penny (Kaley Cuoco, “8 Simple Rules”, “Charmed”), se muda para o apartamento do lado. A chegada de Penny perturbo um pouco a Sheldon já que ele prefere passar as noites jogando Klingori Boggle com seus amigos e colegas de trabalho e também cientistas, Wolowitz e Koothrappali, sem ligar para Penny. Contudo, Leonard vê em Penny a possibilidade de aprender a interagir com as mulheres e sente que ela é um novo mundo cheio de possibilidades, e quem sabe, do amor.

Eu sou a pessoa mais chata do mundo em se tratando de seriados. Minhas predileções são para as séries épicas e sangrentas, ou sobrenaturais que tenham uma boa história e poucos adolescentes. De todas as minhas séries favoritas, a única de humor é F.R.I.E.N.D.S e a probabilidade de eu me aventurar nessas séries com risadas sem graça no fundo é mínima, por essa razão nunca me senti tentada a assistir The Big Bang Theory

Então, há alguns dias, vendo um filme no SBT vi a chamada da série e resolvi esperar para ver no que ia dar e acabei me acabando de rir desses brilhantes gênios da física e sua vizinha nada esperta. Curiosa fui procurar a mais da série no site em que vejo online (aqui) e acabei vendo a primeira temporada completa no final de semana que passou. Como estava muito calor e a insonia estava 'braba' convidei meus amiguinhos de The Big Bang Theory para me fazerem companhia nessa longa madrugada.

Sheldon é incrivelmente engraçado, provavelmente o mais engraçado de todos, porém não sei precisar qual deles é o mais divertido, pois a cada episódio vamos sendo surpreendidos. 

Sheldon e Leonard, são brilhantes físicos, incrivelmente inteligentes, que dividem o tempo entre os cálculos quânticos com HQs, games e encontros nerds. Tem como amigos Raj, o hindu, e Wolowitz, o judeu que vive com a mãe. A rotineira vida desse quatro amigos se vê completamente alterada com a chegada de uma nova vizinha, a bela, porém pouco esperta, Penny que sonha em ser atriz.

Leonard decide então 'socializar' com a nova moradora e é a partir daí que as coisas se complicam e loucuras atrás de loucuras vão surgindo. Raj, não consegue falar quando Penny está perto, Leonard não consegue chamá-la para sair e Sheldon, bem... ele ignora a todos que tenham um QI inferior ao seu.

A série tem tiradas de humor incríveis, porém sem banalizar por completo a visão 'nerd'.

A série é muito boa e entrou para minha seleta lista de séries de humor. Quem for assistir sugiro que veja legendado, pois fica ainda mais engraçada. Já comecei a ver a segunda temporada então, brevemente voltarei com um pouco mais das loucuras desses amigos.


► Sinopse: Catherine Chandler é uma detetive inteligente e focada. Na adolescência, a policial testemunhou o assassinato de sua mãe, vítima de dois homens armados. Ninguém acreditou nela, mas Catherine sabe que não foi um animal que atacou os assassinos, mas sim, um humano. Anos depois, Catherine é uma mulher forte, confiante e capaz de resolver crimes juntamente a sua parceira de trabalho, Tess. Enquanto investigam uma morte, Catherine descobre uma pista que a leva ao doutor Vincent Keller, dado como morto durante a guerra do Afeganistão, em 2002. Ela descobre que Keller foi quem a salvou no passado. Entretanto, Vincent esconde um segredo, algo que o fez ficar longe da sociedade por 10 anos: quando está com raiva, ele se torna uma fera assustadora, incapaz de controlar sua força e sentidos aguçados. Catherine concorda em proteger seu segredo e identidade, pedindo que ele conte mais sobre o que aconteceu com sua mãe. Agora, ambos fazem parte de uma relação complexa e perigosa.

Há algum tempo atrás eu dei uma olhadinha no primeiro episódio e curti, mas queria ver com minha mãe. Ela é meio fissurada em séries de tv então deixei para ver com ela, mas logo que terminamos de ver Game Of Thrones meu computador queimou e não vi foi é mais nada. Então essa semana resolvi dar uma olhada e fiz com que minha mãe se sentasse para ver também.

Confesso que nos dois primeiros episódios, e no restante da temporada, achei a Cat um pé no saco, um pouco egoísta e burrinha, mas o Vicente é um fofo e continuei vendo por causa dele. Gostei dessa mistura da série, enquanto investigam crimes atuais ambos tentam descobrir a verdade que os liga e acho que a  receitinha trama boa mais moço fofo e bonito me fez ir em frente e não me decepcionei.

A tensão romântica entre o Vicent e a Cat me deixou um pouco sem folego e ficava o tempo todo torcendo para que eles se beijassem logo. A carinha de desamparado do Vicent em vários momentos me arrebatou o coração e vocês já podem imaginar que gostei da série por causa dele (eu faria o papel da Cat com prazer só pra poder abraçar e embalar ele).

A Cat não é de todo ruim não minha gente, ela é obstinada, correta, corajosa e a melhor de suas qualidades... ela é persistente. Só que ela tem uma mania egocêntrica de achar que só ela sofre, só ela tem problemas, só ela que tem um passado que precisa ser desvendado e as coisas não são bem assim. Ela vai diminuindo isso no decorrer da temporada, mas as derrapadas dela nesse sentido são perceptíveis e você se paga pensando: "Affs meu... Se liga mina! Para com essas paradas"

A Bela e a Fera vão se ajudando, vão se aceitando e aprendendo a lidar com suas diferenças e isso é bem legal também. Enquanto eles se aproximam com o intuito de se ajudar, vão ajudando outras pessoas, desvendando outros mistérios e no fim as coisas estão, de certa forma, correlacionadas.

Achei a série bem interessante e pretendo ver até onde essa história vai dar. Que venha a segunda temporada... Espero que ela mantenha o ritmo ou melhore.



♥ Recadinho para Sylvia Day:

Querida tia Syl.
Com as notícias de que a série Crossfire vai virar uma série TV, venho por meio desta solicitar que selecione da melhor maneira possível o ator que interpretará, nosso amado Gideon Cross, se possível assista esta interpretação de Jay Ryan em Beauty and the Beast, pois este foi o único que conseguiu encarnar o Gideon que eu, e talvez muitas de suas leitoras, imaginaram quando leram seus livros. Fofo e atormentado, carinha de mal e pegada forte, sem falar que o ator fica sexy em um terno. Não deixem que destruam sua série tão maravilhosamente escrita, não permita este massacre da sua obra literária. Grata pela atenção... sua fã ~Raíssa

 


É bem sabido que fiquei aguardando como louca essa quarta temporada e que simplesmente fiquei apaixonada pelas temporadas anteriores, mas quando enfim ela começou a  ser exibida minha vontade em vê-la foi suprimida pela cara lambida da Sookie.

No ano em que esta temporada foi ao ar, eu fui logo ver o primeiro episódio e após 10 minutos dele eu já havia desistido de ver a série e lá se vão quase dois anos de tentativas vãs de conseguir terminar de ver o primeiro episódio da quarta temporada.

Simplesmente não conseguia olhar pra cara de retardada da Sookie, personagem sem sal, sem graça, cujo único poder sobrenatural é abrir as pernas pra todos os bofes escândalo da série. Está sempre perdida, pagando de moralista, certinha e santinha, mas no fundo não passa de uma putinha metida a fada. (desculpem-me o linguajar, mas é assim que eu vejo a Sookie)

Enfim, após saber que viria uma sétima temporada, tive de ir conferir o que tem demais essa série para chegar a tanto. Estou hoje no oitavo episódio da quarta temporada e duvido muito que vá mudar alguma coisa do que já vi até agora, sem nenhum entusiasmo, já que já vão ai duas semanas assistindo essa temporada.

Simplesmente, todo o bom enredo apresentado nas três temporadas anteriores vão por água abaixo, com uma nova temática nada ver. Eric Northman bonzinho? (não colou... está fofo, mas patético). Personagens antes tão bem estruturados estão simplesmente ridículos, não menos bonitos óbvio e talvez seja por isso que  eu ainda assista a série.


Tara foge pra Nova Orleans, arruma uma namorada e finge ser quem não é. Lafayete arruma um bofe mago mexicano, se mete com bruxarias e acaba descobrindo que é médium. A Sookie ta a mesma anta de sempre, foi pro mundo as fadas e quando voltou o Eric tinha comprado a casa dela, Jason já era policial e Bill rei dos vampiros (um ano havia se passado).

Numa dessas reuniões mediúnicas Eric perde a memória, após a médium ter sido possuída por uma negromante do século dezesseis. Eric vira uma lesma patética e quem fica cuidando dele é a Sookie. Enquanto isso Bill teme que as bruxas consigam matar todos os vampiros e caça a mulher que sumiu com Eric.

Sookie, como boa destruidora de casamentos, vai atras do Alcide pra pedir ajuda do bofe canino e descobre que ele tá lá com a tal noiva dele que era viciada em V. Obviamente, o Alcide é apaixonado por ela, assim como todos os homens não gays da série, quer ajudar, mas ela não quer mais a ajuda quando o vê com a noiva. 

Resumindo... a bruxa consegue possuir o corpo da médium lá, a vampirada fica maluca com a possibilidade de serem atraídos para o sol, enquanto isso a Sookie está perdidamente apaixonada pelo Eric (isso porque ela o odiava, tinha nojinho e o único vampiro na sua vida era o Bill... volúvel), o Jason está tendo sonhos eróticos com a Jessica (mais um destruidor de lares... será este o mal dos Stackhouse?), o chefe da Sookie tendo problemas com o irmão e por aí vai.

Uma enrolação sem tamanho! Cheio de buracos mal preenchidos, trama fraca... e o que nos resta é apenas ver os bofes magia mandando bem no sexo, cada vez mais quente, e mostrando os corpos sarados, porque de resto, a temporada está péssima.

Simplesmente me cansei da patética da Sookie ser o centro das atenções (sei que tem de ser assim, mas ela precisa ter sempre a mesma cara?) o enredo perdeu o fio da meada... e que Odin me ajude a assistir as outras duas temporadas que ainda estão por vir na minha sequencia.


P.S: Foi só eu, ou mais alguém notou que a tia trouxa do Harry Potter, aparece como bruxa nessa temporada de True Blood?

Segundo o site Minha Série, infelizmente, esta é a última temporada de The Borgias (estou de luto). A série foi inicialmente programada para ter quatro temporadas, mas provavelmente tenha em seu quarto ano em vez de mais dez episódios, um telefilme de duração mínima de duas horas com o mesmo elenco, mas não há nada definido ainda.(então ainda estou a sofrer pela perda brusca de Cesare Borgia na minha vida... snif!)

Enfim, vou falar um pouco da série. Já é sabido que sou apaixonada por ela, mas principalmente pelo Cesare (François Arnaud) então tentarei ser imparcial quanto a falar dela, mas não prometo nada, foi um parto para terminar de ver essa terceira temporada e saber que não terei mais nem um pouquinho dessa família deliciosamente sórdida me deixou abalada. O final dessa terceira temporada ficou muito vago e é por essa razão que estou me sentindo abandonada... rsrs... mas vou parar de chororo.

O bom da série é que você sabe que eles são ambiciosos e capazes de qualquer coisa para manter o poder que eles tem em mãos, mas não consegue sentir nada além de simpatia por eles. Não fazem por maldade, mas para manter o que tem e quem sabe conseguir um pouquinho mais de poder (rsrs). Outro ponto que normalmente causaria estranheza é o incesto entre a Lucrécia e seu irmão Cesare, mas no fim você acaba achando o romance dos dois bonitinhos e torcendo para que aquela tensão sexual chegue logo às vias de fato.

Os atores foram muito bem escolhidos e além do ótimo enredo, temos também ótimos atores contracenando. Para mim essa série foi uma das melhores que já assisti e que realmente conseguiram me deixar eufórica e ansiosa com o desfecho. Você pode assistir as três temporadas online AQUI.

Na segunda temporada, exatamente no último episódio dela, temos a tentativa de assassinato de Rodrigo Borgia, o patriarca da família Borgia, e os avanços de Katherine Sforza contra Roma se tornando cada vez mais latente. Já nos primeiros episódios dessa terceira temporada temos a melhora de Rodrigo e o cerco inimigo se fechando sobre seu papado.


Após matar o irmão, na temporada anterior, Cesare, consegue sair do hall de cardeais do papa e assume sua tão sonhada posição de guerreiro. Os laços de Forli estão cada vez mais fortes, enquanto o exército papal definha. Em busca de aliados, Rodrigo casa Lucrécia com um príncipe de Nápoles  sem saber que estava entregando sua única filha para o inimigo.

Cesare recebe a ordem de seguir para a França e conseguir um casamento vantajoso, retornando para Roma com o exército francês ao seu lado. O que assusta o papa Alexandre, que teme o poder adquirido tão rapidamente por seu filho.

É nessa rede de intrigas, homicídios, romances incestuosos, romances homossexuais, falsificação de relíquias, peste bubônica e muita estratégia que você se vê completamente entregue querendo saber quem vai ganhar essa luta onde todos os lados estão errados, mas que desejam a mesma coisa.

A série é simplesmente maravilhosa! Ao menos é o tipo de intriga e trama que gosto. Atualmente quero adquirir alguns romances que encontrei, após pesquisas, simplesmente porque tenho certeza de que sofrerei de abstinência pós-borgias... rsrs...

Vou ficar por aqui. Espero que gostem da dica, mas que principalmente gostem da série. É realmente muito boa, mas apenas para aqueles que não tem medo de encarar todos os pecados existentes no mundo.


Veja aqui o listão de séries que foram canceladas e renovadas para 2012/2013.

Hello amiguinhos!!!

Eis-me aqui! Fiquei de voltar essa semana trazendo para vocês minha opinião sobre The Borgias, mas infelizmente não terminei de assistir. Minha mãe quer ver também, mas não parou em casa no final de semana e faltam tão pouco, só uns três capítulos, está ótima obviamente, mas só vou falar mais quando a postagem for devidamente para essa série.

Enfim, como eu fiquei em casa, resolvi descansar os olhinhos que Odin me deu e resolvi procurar uma série para assistir. Como vejo essas série online fui caçar no meu site preferido alguma coisa para ver. Não curto muito séries contemporâneas, da atualidades assisto só CSI Las Vegas, que eu simplesmente amo de paixão. Fora isso todas as minhas preferidas são as épicas.

Girando lá pelo site que curto achei uma série intitulada Vikings, já deu para imaginas minha animação quando vi e nem pensei duas vezes em clicar nela para assistir. A primeira temporada foi ao ar dia 03 de março de 2013 e conta com nove episódios e é produção do canal fechado History.


Todos sabem que sou apaixonada pela mitologia nódica e ver meus amados pagãos brilharem na telinha da forma como eles realmente eram, mostrando seus costumes, dia a dia, ritos, deuses, rituais é muito interessante para mim. Como já tenho um certo conhecimento desse povo bárbaro, que aliás eu não acho nem um pouco bárbaro, pois o que eles fizeram todo e qualquer conquistador fez.

Apesar de não ser tãããooo bem intricada a trama, a descrição dos costumes, as tradições, as formas de poder e tudo o mais relacionado a eles foi muito bem descrita. Uma verdadeira aula nórdica, acredito que essa seja a ideia inicial da série. Nos introduzir a essa cultura antiga, a primeira temporada foi realmente bem tranquila, mas acredito piamente que a situação vá mudar no decorrer das próximas temporadas.

Tudo começa quando Ragnar Lothbrock consegue instrumentos que poderiam orientá-los e levá-los ao oriente. Seu Earl não acredita que isso seja possível e o proíbe de tocar nesse assunto. Decidido a provar que está certo ele e seus companheiros, escondidos do lorde constroem um barco e partem para a Inglaterra. Quando retornam repletos de ouro o lorde para quem prestou lealdade toma todas as riquezas e sente seu poder ameaçado.

E entre intrigas de poder e mais idas a Inglaterra Ragnar vai ganhando poder e assumi a liderança de seu povo. Como disse não é a melhor série do mundo, mas se você está interessado em conhecer os costumes e  o estilo de vida dos Vikings a série é uma boa pedida.

Eu gostei e confesso que vou aguardar a próxima temporada, pois pela forma como terminou essa, o bicho vai pegar na segunda. Só um ano para isso acontecer, que pouquinho... rsrs... 

P.S: O irmão do Ragnar, Rollo, é muito gato, muito filho da puta, mas muito gato!!! 


Bom dia queridos!

Estou meio atrasada com as leituras, me desculpem, mas com trabalho, manifestos e correria do dia-a-dia estou lendo bem pouco, normalmente um capítulo ou menos, para ajudar são dois livros dessa vez. Encostei por um tempo Para Sempre Sua, sim, estava tão ansiosa para lê-lo, mas saber que Sylvia Day vai escrever mais dois livros para a série me tiraram completamente o tesão na leitura, então aproveitando minha animação com a terceira temporada de Game Of Thrones no final de semana entrei de cabeça na leitura do primeiro livro, e pasmem, está me prendendo mais que o terceiro livro da série Crossfire. George R. R. Martin escreve tão bem, a tradução da editora ficou tão perfeita que estou simplesmente encantada, tanto quanto estou pela série.

Enfim, voltando à temática dessa postagem, assisti no final de semana passado a tão esperada e tão malhada terceira temporada de Game Of Thrones. Confesso que depois de conversar com amigos ‘fãs’ da série, me senti um tanto quanto insegura sobre essa terceira temporada. Sem falar em um sem número de blogs que sigo que andaram postando criticas vorazes sobre essa temporada da série.

É como dizem, cada um tem seu gosto, sendo assim, renovei meu ânimo e fui assistir, com a animação de sempre, pois gostei muito das temporadas anteriores, como já comentei em outra postagem.


Ao contrário das críticas ácidas essa temporada mantém o ritmo das anteriores. O mesmo jogo de intriga, as mesmas guerras de poder e claro o mesmo inimigo em comum... O inverno que se aproxima.

Alguns personagens morrem sim, mas é completamente aceitável. Tanto por conta dos códigos de honra, traições e por aí vai. Se pararmos para pensar que a história se passa na idade média é completamente aceitável tudo o que acontece, então, não sei porque tanto estardalhaço, tanto mimimi, quanto as mortes ocorridas na temporada. Ao contrário do que o povo anda espalhando por aí, NÃO MORRE TODO MUNDO da série.

Vai rolar um spoiler aqui, mas, morre apenas o povo que ta com o Robb Stark, que aliás sofre com a traição dos Frey, mas quem começa é claro é ele, quando não se casa com uma das filhas do lorde. A única morte que achei desnecessária foi a da mãe dele, mas fora isso. Tudo que acontece é apenas reação de uma atitude impensada da qual ele mesmo foi o culpado.

Enquanto isso vai acontecendo. O Rei-pra-lá-da-muralha está seguindo contra os Corvos da Muralha. Os Outros estão atacando. E a Mãe dos Dragões, formando seu exército com astúcia e inteligência.

Alguns personagens amadureceram bastante, como Jaime Lanninster e a Dany. Alguns personagens continuam tão idiotas quanto antes, como Sansa Stark que se casa com o Duende. Dentre outras mudanças, personagens novos, mas na mesma linha estratégica.

Realmente uma ótima série! Pena ter acabado tão rápido, me mata de angustia ter de esperar um ano pela próxima temporada. Enquanto isso, vou lendo os livros vagarosamente e apreciando essa história tão querida para mim até lá.

Eu gostei bastante. E espero encontrar mais apreciadores, pois pelo visto tem muita gente desgostosa com a série. 


Não resisti e decidi falar sobre essa nova série da MTV. 

Quem me conhece sabe que já estou saturada desses romances teens água-com-açúcar que andam sendo lançados aí. Mas não resisti em dar uma olhadinha em Teen Wolf. 

Confesso que a curiosidade para saber como seria uma série onde o protagonista é um lobisomem me chamou muita atenção. Como já disse milhões de vezes aqui no blog, e quem me conhece sabe, que curto esses seres mais do que a vampiros... corri logo para achar o link, para assistir online, claro, para ver no que ia dar isso tudo.
Essa não seria uma série que eu faria questão de baixar e guardá-la como faço com muitas outras, porque não é lá aquelas coisas, mas estou bem curiosa para saber o que vai rolar nos próximos episódios. 

Da esquerda para a direita: Pam, Bill e Sookie, Eric, Jessica(de vermelho abaixo), Sam e Tara (ao fundo), Jason e Lafayete.


Caramba! Acabei de assitir a Primeira Temporada de True Blood e simplesmente me apaixonei!
Que vampiros!
Que série!
Sem sombra de duvidas essa primeira temporada é bem Hot e só vendo para crer...kkkk.
Temos além de belos e sexys vampiros, um irmão tarado ninfo maniaco, fanático e viciada em Suco - V, uma mocinha muito ingenua, às vezes irritante, mas bem cabeça, um chefe lindo de morrer e misterioso, uma amiga alcoolatra com problemas com a mãe, seu primo gay e traficante e um assassino em série a solta pela pacata cidade.


Com a criação japonesa do sangue artificial os vampiros decidiram dar as caras e lutarem por seus direitos entre humanos...


Sookie é telepata e poucos sabem disso. Sua vida solitária muda quando o belo vampiro, Bill, com seus belos e penetrantes olhos azuis entra no bar onde ela trabalha como garçonete e lhe pede um Tru Blood. Ela espera há dois anos para poder conhecer um vampiro de verdade, mas acaba em maus lençóis ao salvá-lo da mão de traficantes de Suco - V (Na série Suco - V é sangue de vampiro. O uso é ilicito, pois a substancia é alucinógena para humanos). Intrigada por não conseguir ler os pensamentos de Bill, logo se vê irremediavelmente ligada a ele...


Só que algo mais está acontecendo na pequena cidade de Sookie. Uma mulher foi morta por estrangulamento e Jason, o irmão mais velho, de Sookie é o principal suspeito e nada parece ajudá-lo quando um segundo assassinato também é cometido. As duas vítimas tem algo em comum... as duas tiveram relações sexuais com Jason e com um misterioso vampiro.


Sookie se nega a acreditar que Bill seja o suspeito e todos começam a criticá-la quando seu romance com o belo vampiro vai esquentando. Nem todos estão felizes, muito menos Sam, seu chefe. Um homem de muitos segredos que a ama a anos, mas nunca se declarou.


A trama dá uma guinada quando a vó de Sookie é brutalmente assassinada.


Agora ela tem certeza de que ela é o proximo alvo e não se furta de ir com Bill ao famoso bar dos vampiros em que as duas primeiras vitimas haviam ido. Só que sua presença naquele lugar só lhe tras mais problemas. Agora Eric, o ancião (E lindo de morrer...literalmente!!!) também está intereçado por seu poder... E Bill será capaz de qualquer coisa, até mesmo, desobedecer seu lider, para salvar a vida de Sookie... isso é... se ela levar suas atitudes como heroísmo...



1ª Temporada.
Clique nos Episódios par Baixá-los:

1 – Strange Love
2 – The First Taste
3 – Mine
4 – Escape from Dragon House
5 – Sparks Fly Out
6 – Cold Ground
7 – Burning House of Love
8 – The Fourth Man in the Fire
9 – Plaisir d’Amour
10 – I Don’t Wanna Know
11 – To Love Is To Bury
12 You’ll Be the Death of Me (Season Finale)


2ª Temporada


3ª Temporada


OBSERVAÇÃO:

Ainda estou baixando a segunda temporada, apesar de paradinha temos uma nova trama, novos personagens e muito mais mistérios... Estou realmente gostando!



LEIA OS LIVROS QUE INSPIRARAM A SÉRIE, CLICANDO NO LINK DO MEU BLOG DARK >>AQUI!!! (SEJAM BEM VINDOS!)